Inicio | | Viagens | | Voltinhas | | Manutenção | | TUGATECH | | História da XT |  VELA 

segunda-feira

ESKIMÓS 2014


Introdução:

Uns dias antes de a malta se fazer à estrada, as previsões climatéricas prometiam dureza,
eram previsões de muita chuva, frio e neve nas terras altas...
Eu ainda sou do tempo em que o boletim meteorológico "não dava uma para a caixa",
mas com as tecnologias que agora existem eles na véspera "acertam sempre na mosca",
e a palavra "previsão" quase que podia ser trocada por outra...


As nossas previsões também não falharam em nada,
prevíamos encontrar muita poças e finalizar a manhã com um belo almoço,
depois iríamos encontrar areia rija, areia mole, pedras, alcatrão molhado, neve e gelo...

Também era de prever que as tropas no final do primeiro dia estivem massacradas e com a moral beliscada.

Subir a serra com chuva fria de rachar empurrada por um vento forte, com a roupa ensopada...
pois a velha roupa que em tempos foi à prova de chuva, acabou por ceder.

Bom, a verdade é que até doía...
e a meio da subida a chuva é trocada por neve...
Nevava e rapidamente a estrada ficou completamente braquinha.
Agora não havia espaço para termos frio ou medo,
o cérebro estava apenas concentrado em fazer tudo direito...
tínhamos que saber onde púnhamos as rodas, e não perder o ritmo ou a tracção da coisa,

simplesmente, estávamos a participar nos Eskimós
e esta edição vai directamente para o Top como a melhor de sempre...








Firme e hirto...
o elástico encantado (ou congelado)




O "espírito" dos Eskimós

Eu não consigo encontrar palavras justas e adequadas para explicar o espírito que encontramos neste evento...

Só de pensar em explicar esse "espírito" nasce-me um sorriso que mete-me os olhos a brilhar e consigo sentir um calor na pele por debaixo dos olhos seguido dum fresquinho que sobe pelas costelas acima e que até arrepia de satisfação...
Lamento não consigo escrever sobre isto...



Muita gente questiona :
" como é que vocês conseguem?"
" as motas andam nessas condições? és maluco! não és?"


Pois... a grande verdade é que (no meu caso) e apesar das condições adversas, encaro isto com muita normalidade...
- levo uma tenda (T2) comprada na Decathlon, que custou 27€,
- para dormir, levo uma esponja, uma almofada, e um saco cama tipo munia que comprei no Aldi,
- a roupa resume-se à que vai no corpo mais uma camisola no saco, um gorro e uns pares de peúgas,
- levo também uma toalha, uns chinelos, um sabão, e toalhinhas dodot...

O equipamento para rolar, é o que uso no dia a dia...
- umas luvas que comprei no Lid'l (e já foram a 5 edições dos Eskimós)
- um blusão da Acerbis de inverno e à prova de chuva
- um segundo blusão de 20€ comprado na Nourauto
- umas botas de enduro com umas peúgas da SealSkinz que custaram um balúrdio
- e umas velhas calças da Shoei com uns 16 anos e não sei quantos kms, vestidas por cima de outras.


Como andamos "fora de estradas", temos que ir preparados para os trambolhões...
por isso joelheiras, protecção da coluna, boas botas, etc etc é obrigatório...

O meu kit de primeiros socorros também vai sempre à mão de semear...

... e como nos "fora de estrada" não existe assistência em viagem, levamos na bagagem uma espécie de mini oficina não vá a coisa correr mal...




Apesar de todos os anos encontrarmos condições climatéricas diferentes...
o ano de 2012 foi duro, mas os restantes nem por isso...

Mas a vida só é dura para quem é mole...
e a "escola" das edições anteriores, ensinaram-nos a trabalhar em equipa, a procurar soluções, preparar e rachar a lanha para a fogueira, que vai aquecer a moral da malta.

O lenhador de serviço, com um machado emprestado por um Amigo que veio da Galiza 




Aqui não se vende fogueiras feitas,
e também não chovem fogueiras do céu...
o "pequeno" machado do Marco é testemunha disso à 3 anos seguidos.

...o fogo foi a descoberta que mudou a humanidade, e sabe sempre bem recuar no tempo e por na pratica essa grande descoberta.

    Começa sempre em tamanho XS...                           mas uma hora depois transforma-se em XXL





A nossa historia :

Desde o inicio do ano que andava a contar os dias,
até que a tão esperada 6º feira chegou...

O tempo prometia chuva da grossa, mas isso eram trocos e não alterou em nada os nossos planos,
às 7 da manhã já estava a rolar para o ponto de encontro,

Éramos 4 repetentes nestas andanças...
e tínhamos alguns cuidados a ter em conta...

  • Motas bem carregadas e pesadas,
  • havia na Equipa uns pneus Mitas E-09 muito rodados (que dizem ser falsos no molhado),
  • uns belos kms por fora de estrada,
  • uma XT660X com pneus e jantes 100% de estrada,
  • e um dia com mais de 350 kms que no final se torna muito desgastante...

...mas o que é isso para a gente !?!?
e o resultado foi um dia que ficou bem registado nas nossas mentes...
pois é impossível pensarmos nesse dia sem ser a sorrir...

Para perceberem a origem desse "sorrir", apanhem boleia neste video...

...a Maquina equipada com pneus 100% de estrada, 
registou as imagens que vão ver...






Eu não parava de dizer..."isto este ano está mesmo agreste"

Levava vestido dois blusões à prova de chuva, e mesmo assim tinha a tshirt na zona da barriga completamente ensopada, que já me tinha contaminado as calças e tal...
As luvas pareciam coladas às mãos, de tão molhadas que estavam...
e por momentos ainda pensei... "só devo conseguir tirar as luvas com uma tesoura !?!?"
o capacete também não se tinha safado, e se fosse espremido devia dar para encher uma garrafa.
As botas eram duas esponjas gigantes muito fresquinhas...

Para ajudar à festa, estava a nevar como nunca tinha visto...
era impensável tentarmos fazer uma fogueira, ou simplesmente montar a barraca.

Dirigi-me imediatamente para a tenda convívio,
e tive uma agradável surpresa... havia uma salamandra quentinha...
Ofereceram-me o melhor lugar junto da salamandra, e um chocolate quente para beber
deu para levantar a moral e enxugar a roupa...


Depois de enxuto fizemos a inscrição e fomos atacar o jantar...
Ainda faltava uma coisa... montar a barraca,
umas horas depois, eis que pára de nevar por uns minutos...


Tive que montar a tenda em cima da neve,
e quando me sentei no chão da tenda para descalçar as botas, originou um choque térmico que até me faltou o ar...

Desenrolei a esponja de rolo... e agora sim!
ela isolava na perfeição o frio do chão,
troquei de meias,
e enfiei-me dentro do saco cama...

O cansaço da viagem funcionou como um sedativo e adormeci "confortavelmente"...






Acordei com o sol já alto...

e esfreguei os olhos para desviar as ramelas e poder admirar o manto branco.
Se por um lado tínhamos um acampamento singular, por outro estávamos "presos" nesta beleza...
porque as estradas de acessos estavam bloqueadas...







Calcei as botas molhadas com as minhas peúgas da SealSkinz...
e comecei a correr em círculos aos pulinhos para ver se aquecia...
e rapidamente as peúgas miraculosas aquecem-me os pés.

Com os pés confortáveis...
Agora sim... conseguia sentir e apreciar a beleza do Vale do Rossim.

Esqueço-me quem sou e donde vim,
e começo a viver a magia dos Eskimós...

Não sinto necessidade do conforto duma casa...
as obrigações, preocupações, tarefas e compromissos simplesmente não existem...

por tudo e por nada começo-me a rir...
e parece que nasce em mim uma alegria genuína, igual à que vê-mos nas crianças.

É a fuga perfeita da rotina...



No Vale do Rossim não existem telefones, néts, facebuques, e os telemóveis não têm rede...
por isso, aqui não há aquelas melgas que nos chupam a paciência com telefonemas sobre trabalho,
simplesmente estamos incontactáveis e livres do resto do mundo, e entregues a nós mesmos...

Estas condições desperta a nossa auto-estima...
Para mim, isto é sonhar acordado...





No tempo das vacas gordas, conheci neste e noutro continente o que era estar num bom hotel...
Atacava buffets ao pequeno almoço, sem dó nem piedade... tchiii, era sempre tudo muito.

O pequeno almoço que a organização dá à malta, e no contesto em que a recebo, sabe-me melhor que aqueles buffets todos juntos...
Todas as refeições que a organização nos dá, é com boa qualidade e temperada com muita simpatia...

Os talheres e os pratos são de plástico... o menu resume-se a um prato (o que facilita a escolha)...
e mesmo assim, neste fim de semana não trocava isto por nada...




A nossa vizinha Galizia está sempre muito bem representada... e este ano o grupo de Galegos voltou a crescer, e trazem com eles uma energia contagiante...

Este ano vieram também do Reino Unido 3 novos  motociclistas de barba rija...

Tive oportunidade de trocar palavras com todos eles, e é tudo gente boa... gente que dá gosto conhecer, porque são pessoas com uma grande paixão pelas duas rodas, coleccionadores de kms e experiências de vida invejáveis...



Se uns vieram de muito longe... a maioria veio dos 4 cantos do nosso Rectângulo...
essa maioria não poupa nos petiscos, na pinga, no convívio, nas conversas...
este ano até sardinhas asadas havia... eheheh



br />



Aproveitei a oportunidade de conhecer novos amigos...
e rever os que já conhecia de edições anteriores...

Este fim de semana é vivido em Equipa,
e não é politica deste blog entrar na "privacidade" dos meus Amigos...
como tal acho que escrevi sobre o mais importante...

Para terminar... no sábado à noite ainda tinha o capacete molhado
lembrei-me de colocar a toalha de banho que estava enxuta dentro do capacete...
e surpresa das surpresas... a humidade passou-se para a toalha e secou o capacete...


Feitas as despedidas e os votos que para o ano vamos voltar
capacete enxuto na cabeça e vamos embora...





Não podemos deixar de agradecer à Equipa do Tó Padeiro... (Motoclube de Vila do Conde)

Os Eskimós são fruto dum grupo de voluntários que vive a mais de 200 km da serra da Estrela.

Esses 200 e tal kms nunca foram uma fronteira
...e à 7 anos consecutivos que Motoclube de Vila do Conde contorna todas as dificuldades para por o evento de pé...

Até pró ano... 




 

- ESKIMÓS  2009  ...Duros & Loucos" todos reunidos... 

- ESKIMÓS  2010 ...chuva, neve, gelo, nevoeiro, amizade e espírito de equipa...

- ESKIMÓS  2011 ...até deu para nadar na neve ... 

- ESKIMÓS  2012 ...Frio de alta qualidade... 

- ESKIMÓS  2013 ...o melhor ano de sempre...

ESKIMÓS  2014 ...esteve ao rubro...

- ESKIMÓS 2015 ...a maior de sempre...


Outros relatos:  AMEC-Mototurismo   /   Blogue do João5907    /   Viajo en Moto (em Espanhol)

13 comentários:

  1. Vadio das Neves em mais uma aventura !!!

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marco...
      pois, pois... a verdadeira Aventura foi a tua participação com a XT660X equipada com rodas de estrada, fazeres todos os caminhos lado a lado com a malta de pneus de tacos... eheheh
      ABR e que para o anos seja igual ou melhor :)
      OBR pelas fotos ;)

      Eliminar
    2. Os amigos são para as ocasiões !!!
      Abraço.

      Eliminar
  2. Ora cá está uma história que gostava se ter vivido.......hahahhaha......ou será que fui um dos tolinhos....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Pedro :)
      o homem da XTénéré com um top case que resiste a tudo eheheh
      pois... tu foste um dos 4 repetentes à partida eheheh
      Grande ABR

      Eliminar
  3. Agora sim, agora já me parece a viagem que nós fizemos mais uma vez para alcançar o Nirvana das XT's.
    Vadio, tu és o verdadeiro contador de histórias dos Eskimós.
    Abraço e até breve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OBR Amigo
      Até breve (Abril não é ?? eheheh)
      ABR

      Eliminar
  4. Sou o último....
    Foi um prazer ir convosco , senti-me um verdadeiro Tenrinho.
    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ti Rui... o homem do machado eheheh
      Sabes como é que é ! há certos e determinados eventos que fazes muita falta ;)
      o prazer foi nosso :)
      ABR

      Eliminar
  5. Vadio e sua XT das neves!!!

    Ótimo relato. Deu até vontade de participar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amigo
      eheheh... eu trocava agora este frio pelo clima e beleza de Fortaleza ;) eheheh
      OBR pela visita, e pelo comentário
      ABRAÇO
      Edgar

      Eliminar
    2. Excelente amigo Edgar! É sempre o prazer ler as tuas crónicas.

      Abraço.

      Eliminar
    3. Olá Francisco
      Muito Obrigada :)

      Abraço
      (Edgar)

      Eliminar