Inicio | | Viagens | | Voltinhas | | Manutenção | | TUGATECH | | História da XT |  VELA 

segunda-feira

MIRROR DINGHY (do Tejo)

A vida é feita de oportunidades
e surgiu a oportunidade de dar o merecido descanso ao Otimista do Tejo,


O Otimista do Tejo nasceu nos anos 60,
e foi usado em 3 diferentes escolas de vela...

Não consigo imaginar o numero de crianças que nele velejaram, ou as regatas onde participou, com a importante tarefa de ensinar à rapaziada o gosto pela vela, e o respeito pelo rio... 

Mas a sua historia não fica por essas 3 escolas de vela, e ainda seria vendido mais 2 vezes,
até que em 2012 cruzou-se comigo...

O Otimista do Tejo fez comigo o que sempre fez com toda a criançada. Além do que aprendi ou do que me diverti, este "pequeno" Optimist ganhou o meu respeito e admiração...




Actualmente Otimista do Tejo foi para a cidade do Barreiro, 
e faz parte de um projecto dos Escuteiros Marítimos 


   A ultima regata 
   em que eu participei com ele...    Foto:  









 Foto:
Apresentação do MIRROR do TEJO
Foto:

A equipa recebeu um novo membro...
a oportunidade surgiu e nem paramos para pensar.

Aprendi que para velejar sozinho, temos que sempre alguns cuidados nas escolhas que fazemos...
e juntando esses critérios de escolha , à "guita" que tínhamos disponível,
escolhemos procurar 2 botes:   CADET (dinghy)    -    MIRROR DINGHY.
ou por ultimo, caso não encontrasse algo em conta, estava-me a preparar para arregaçar as mangas e construir um TENDER 3,1M

     "Cadet (dinghy)"                 "Mirror (dinghy)"                       "Tender 3,1M"



Em tempos, Portugal teve de norte a sul centenas de Cadet's, mas parece que estes entraram em vias de extinção, e nem um se encontra à venda, ou quem os tens, não os vende.

Mirror Dinghy é um barco muito popular um pouco por todo o mundo, principalmente no Reino Unido que é o seu país de origem, mas no nosso rectângulo conta-se pelos dedos das mãos os que existem.

Algo me dizia, que o Mirror dinghy era o navio ideal e feito à minha medida, e que vai trazer-me sempre em segurança para casa.
e o Mirror quando comparado com o Cadet, leva sempre vantagem em todos os aspectos.


e não é...?! que eu tropecei num que estava à venda por um preço simpático,

Tinha encontrado o Pancho, que estava à um ano ou mais, ao sol e à chuva, correndo o risco de ter os seus dias contados.
Todo o processo de "adoção" foi claro e transparente, pois ele estava no seio duma boa família.

A historia deste Mirror dá pano para mangas, pois foi construindo pelas mãos dum Senhor que vivia num 8º andar, e para poder trabalhar tinha uma longa extensão eléctrica esticada do 8º andar até um pequeno "estaleiro" improvisado construído nas traseiras do prédio,

mas a sua historia não se fica por aqui, e é como digo, tem pano para mangas...
mas vai ficar para outra altura.






Vendi o atrelado de estrada do Mirror, e construí um carrinho de cais,
e feitas as contas finalmente tinha um veleiro que tinha ficado em cerca de 400€





O Mirror vinha pronto a velejar
mas queríamos fazer algumas alterações e melhorias para ficar ao nosso gosto,
e com 12€ fizemos um novo mastro.
As velas são do ano de 1982 (segundo a tabela internacional)
foram Fabricadas em Portugal, e com 32 primaveras de idade, estão como novas...




Os melhoramentos não ficaram por aqui, e sempre que vê-mos necessidade de alterar algo, arregaçamos as mangas e sem presas, quase sempre à primeira a melhoria é implementada.

- um novo Boom-jack
- nova retranca mais leve e com ajuste dos punhos da vela
- novos remos
- etc etc









A Vela é vista por muitos como um hobby de elite,
para outros é uma tradição mantida a muito custo e com muito trabalho,
de resto... talvez a Vela seja como tudo na vida,
uns vivem a Vela com paixão, outros vêem a vela como mais uma experiência ou moda da altura...

Comecei na fazer vela vindo do zero com os meus 42 anos, com um orçamento de 80€ mais uma lata de tinta, que depois derrapou para um total de 120€
Em 2014 dei um passo em frente com um novo orçamento, de 400€ mais duas latas de tinta.


Então, fazer Vela (no nível que escolhi)  pode ser mais barato que um telemóvel de topo... eheheh

Se estamos a viver uma paixão? ou uma moda? só o tempo o dirá!


Obrigado pela visita
Edgar








Voltar à pagina anterior 
(clicar aqui) 








14 comentários:

  1. Parabéns! depois de ver isto fico com mais forças para ter o meu barquito e velejar pelo Tejo. Engraçado que também ando de olho nos Mirror.

    Bons Ventos

    Sérgio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Sérgio
      A minha experiência é pouca...
      (e tal coisa deverá ser tida em consideração por quem lê aquilo que escrevo)
      Mas acredito piamente que é um bote perfeito para o Rio Tejo porque:

      - o Tejo muitas vezes tem um temperamento difícil, e quando levanta vaga, quando aparece a tal "carneirada" e começa a dar cacete... um bote com uma proa larga como o Mirror consegue subir facilmente as vagas...

      - o Mirror admite muitos erros, e muitas distracções... com a segurança das suas 4 caixas de ar, a sua boa estabilidade, a calar com "meia dúzia" cms, tudo extremamente manobrável e funcional, etc etc, faz dele um bote sem pontos fracos e muitas virtudes

      - Consegue facilmente bolinar só com o estai, ou só com a vela grande... e num dia de vento muito forte velejei só com o estai num ritmo que me surpreendeu...

      - com o seu pouco peso, é possível tira-lo e mete-lo à agua sem ajuda...

      - é rápido a aparelhar, e sem necessidade de grandes ajustes

      Talvez o único contra, é ser raro em Portugal, mas mesmo assim consegui comprar o Mirror do Tejo por 500€ incluindo o reboque de estrada e toda a palamenta (mas foi um achado)

      OBR pela visita
      ABR e Bons Ventos (Edgar)

      Eliminar
    2. Olá Edgar,

      também não tenho muita experiência, apesar de estar familiarizado com o meio.

      De facto pelos videos que tenho visto, parece que o barco comporta-se muito bem e dá tranquilidade ao timoneiro.

      Se não fosse pedir muito gostava de o ver ao vivo para ter uma noção mais real do tamanho do Mirror. Quando vai para a água?

      Eu sou do Barreiro.

      Bons Ventos

      Sérgio

      Eliminar
    3. Olá Sérgio
      Bom... para a agua, agora só em Março
      neste momento o Mirror está hibernado
      retirei-lhe todas as ferragens, e de momento não tenho como aparelha-lo...
      Estou a reforçar a fixação do mastro aos brandais... e tenho mais uns pequenos trabalhos a fazer...
      Embora o clima tenha estado excelente durante as tardes, não vai para a agua antes disso...
      Eu sou da Moita (é um pulinho do Barreiro eheheh)
      ABR

      Eliminar
  2. Olá Edgar,

    Ok, fica para outra altura :)
    Tenho uma pergunta: O Pancho está registado, certo? No livrete qual é a lotação?
    Ele já estava registado ou foi registado na altura em que passou para ti?
    Abr


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sérgio
      O Pancho foi registado à uns 30 anos pelo Senhor que o construiu
      e foi registado com uma lotação de 5 pessoas ou 500 e tal kgs de tara máxima
      A lotação é de 5 pessoas porque ele em tempos teve motor fora de bordo
      Mas à Vela penso que o máximo (ou o ideal de peso máximo) é de 160 ou 170 e poucos kgs
      Se tiveres facebook, procura por Edgar Couceiro, que é mais fácil de trocar mensagens...
      ABR

      Eliminar
  3. Tenho um “dinghy mirror” de 1984, em bom estado, para venda na zona de Sesimbra, com atrelado e acessórios: mastro, velas, fateixa, boias de protecção, 4 coletes (1 até 80kg, 2 até 60kg, 1 de criança).
    Algum interessado/a? tlm 966532513

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá ...
      O Mirror "Feitiço" acabou por ser vendido através duma mensagem que eu enviei com o teu contacto a um Amigo ;)
      Já estive a vê-lo e realmente está muito estimado...
      O Rio Tejo e o Mar da Palha ganhou mais um belo Bote eheheh
      CUMPS (Edgar)

      Eliminar
  4. Ora viva
    Fico muito feliz por saber que o Mirror está em boas mãos e vai continuar a lançar o seu feitiço...
    Obrigada e boas bolinas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheh venham essas bolinas, que os Mirror tanto gostam eheheh
      Esta mesmo em excelentes mãos :)
      Cumps e boa Pascoa

      Eliminar
  5. Olá Edgar!

    Que história inspiradora...

    Também eu descobri a minha paixão pela vela já adulto, ainda que a morar numa vila bem perto do rio Tejo.

    Ainda não consegui dar o mesmo passo que tu, mas quem sabe se em breve não me inscrevo na escola de vela aqui perto de casa...

    Admiro ainda mais a tua determinação e o excelente trabalho que fizeste quer com o Optimist e agora com o Mirror (fiquei fã da embarcação, pelos comentários e pelo que já vi na net e bastante versátil)

    Vou continuar a acompanhar as tuas aventuras na vela...

    Continua a escrever que eu vou estar atento :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amigo

      Tenho conhecido e cruzado-me com "n" pessoas na vela
      tenho ouvido opiniões de todo o tipo e feitio

      A vela talvez seja como o mundo das motas, ou dos carros...
      muitas opiniões (conselhos) que recebemos são ditos com o coração e sem o importante bom senso.
      ou seja, eu dizia que queria comprar um bote à vela, e as respostas eram sempre as mesmas:
      - Compra mas é um Vaurien, ou um Lazer, um 420, um 470 etc etc... que isso é que é curtir e até voam e tal... bla bla...

      Mas na realidade eu queria era algo para aprender sozinho e sem ajuda, que admitisse erros de principiante, e fosse leve e ligeiro o suficiente para eu o manobrar em terra, que eu consegui-se por e tirar da agua sozinho.
      Mas todos os conselhos que recebia era sempre no sentido inverso, não falando que eram sempre embarcações de alto preço e caras de manter...

      Não queria ser o mais lento do rio, e queria ter algum conforto para pequenos cruzeiros a solo.

      O Porquê do Mirror Dinghy: É um bote fácil de usar, que já atravessou em segurança o Mar Mediterrânico, o Mar Negro, os Mares do Norte, e fez isso tudo partindo de Inglaterra e atravessando a Europa por canais e rios.
      É um Bote que nos proporciona sensações próximas dos mais rápidos, e tem velas com ajustes idênticos aos grandes veleiros (ou para lá caminha).

      Ocasionalmente tenho velejado ao leme de Canoas com 4 toneladas,
      e foi graças ao Pequeno Optimist que aprendi a conhecer e tirar o máximo de rendimento (ou próximo disso) duma vela de carangueja (porque a vela de espicha é parecida.
      Já velejei ao leme dum veleiro de 7 metros e não vi diferenças nos ajustes e técnicas de navegação diferentes do Mirror... tirando o conforto e a segurança.
      E sempre senti tranquilidade por parte da tripulação, pois confiavam no timoneiro...
      (mas em manobras de atracar ainda sou um "carro sem travões")

      ou seja muito provavelmente se tivesse seguido os conselhos teria apanhado meia dúzia de sustos e teria desistido de fazer vela, pois devemos escolher um Bote que dispense uma lancha de apoio, e dei-a oportunidade a quem vem do "zero" num simples verão dar-nos oportunidade de aprender. E nisto o Mirror é uma autentica escola.

      O Otimista não é bom exemplo para ninguém, porque eu tenho 90kg e 1,70 eheheh
      mas foi a minha porta de entrada.
      o futuro não sei... talvez não passe de ir mais além que o Mirror, porque estou super satisfeito com ele e com aquilo que me dá.

      Se viveres próximo da Moita terei todo o prazer em partilhar o pouco que sei, mas que já dá para alguma coisas eheheh

      ABR
      OBR pela visita e pelo comentário

      Eliminar
    2. Edgar,

      Eu até percebo a razão pela qual te recomendaram Laser, Vaurien, provavelmente Snipe e muitos mais, provavelmente são as classes mais usadas para vela ligeira em Portugal e daí tanta gente recomendar.

      A minha experiência é quase nula, em 2013 embarquei numa viagem até Cádiz e depois Portimão num grande veleiro o NTM Creoula, onde fiz parte da tripulação, e aí nasceu o bichinho da vela e lá fui fazer uma aula experimental de vela no UD Vilafraquense (isto há um ano) e claro gostei bastante (foi num snipe eu era o proa), por falta de tempo não continuei as aulas só fui experimentar... E tenho pena... Quem sabe se não

      Por isso mais uma vez admiro a tua determinação e empenho com esta tua paixão.
      O Mirror, acho que acabaste por ter "sorte" em encontrar um e a um bom preço, mas também me parece que mereceste encontrar, pelo tratamento, pelo empenho e pelo uso que dás e tudo pelo simples prazer de navegar.

      Um abraço e vou acompanhar de perto novos desenvolvimentos :)

      ABR



      Pelo preço que falaste

      Eliminar
    3. Boas...

      Pois é... e o Snipe era mais um que muitos recomendavam
      Mas um Amigo contou-me uma viagem que fez quando era adolescente num Cadete,
      (o Rui que já se reformou e agora dedica-se à família e à construção de embarcações de madeira à vela).
      E ele foi do Poço de Bispo até Valada, com tenda, tachos, fogão, etc etc mais outro amigo nesse tal Cadete... e os seus olhos brilham quando recorda essa aventura.
      Incrivelmente ele tem outras historias para contar, e já construiu 4 catamarans, um deles com 41 pés, e actualmente tem um Tiki 30... por isso tem mesmo muita coisa para contar, mas nenhuma lhe da tanto brilho nos olhos como a historia que viveu no Cadete,
      e basicamente foi essa historia que me fez procurar por um Mirror Dinghy.

      Foi um achado no OLX o meu Mirror, e comprei o bote com toda a palamenta e vistoria em dia por 500€ mais 50€ que ofereci pelo seu transporte de Carcavelos até à Moita. Com a venda do reboque, baixei a factura, e com a venda do Otimist e a ajuda das dicas do Rui, fiz-lhe um restauro de 5 estrelas...

      Agora é ver até onde vamos com esta "paixão" pela Vela e pelo Tejo

      ABR
      (Edgar)

      Eliminar