Inicio | | Viagens | | Voltinhas | | Manutenção | | TUGATECH | | História da XT |  VELA 

sábado

Aldeias do Xisto (1/3)

(1ª parte)    (2ª parte)    (3ª parte)

(Introdução)
Normalmente em todas as "voltas" que dou, acontece sempre uma pré-historia, ou algo que influencia a "viagem"...

Pois... mas desta vez, não há essa "pré-historia"
e nada aconteceu, e nem tinha planos... simplesmente iria dar uma volta...

Horas antes juntei as coisas habituais que normalmente levo...
passamos pelo supermercado e compramos uns esparguetes e uns pacotes de bolacha "maria"


e "vamos embora que já se faz tarde"
e vamos para onde? não sei!
talvez até Finisterra ou sei lá... ou seja vamos viver o momento e pelo caminho logo se pensa nisso.

Calmamente subimos junto ao rio Tejo, 
e sempre que víamos uma coisa porreira, fazíamos uma pequena paragem, para a ver melhor...




Entramos na EN110 para continuar a subir caminho...
e do nada aparece nos espelhos da XT uma "senhora" motorizada a rasgar caminho,

Afinal não era uma, mas duas Zundapp's cheias de cromados a brilhar, ...e não demorou muito tempo até me ultrapassarem.

Durante uns bons kms fui atrás delas, e dei por mim a recuar no tempo, a lembrar-me dos velhos tempos...
Aquilo era a elegância de outros tempos...
todas kitadas com avanços e tal...
tinham tanto de leves como de "barulhentas" eheheh

Era uma condução bonita de se ver, onde os travões eram esquecidos, e o que importava era manter a embalagem furando por onde podiam e conseguiam, sempre a rasgar...

e fiquei para trás a ver elas a irem-se embora...




Até que: uns bons quilómetros mais à frente estavam paradas na berma da estrada
algo tinha acontecido, e parei para perguntar se necessitavam de ajuda,

Eles vinham da concentração de Faro sem poupar no andamento,
e depois de 800 e tal kms (ida e volta) algo tinha dado o bérro, e em poucos minutos era peças e parafusos da motorizada por todo o lado...
O platinado tinha-se desfeito... mas não era problema pois havia na bagagem platinados extra...
Entretanto chegou o resto da Equipa que trazia a bagagem e o problema deixou de ser problema...





Segui caminho até Penela
É uma vila bonita de se ver, construída num monte, onde se vê abundantes espaços verdes, casas super branquinhas com um enorme castelo num dos topos.





Por acaso tinha junto ao mapa, um roadbook com uns trilhos da serra da Lousã,
que parecia ser um bom destino...
Fui-me enfiar num labirnto de estradinhas e aldeias com nomes que nunca tinha visto:
"Tola, Sandoeira, Zorro, Favais, Giestal, Barbéns, Chapinha, etc etc"

Perdi o "norte" em minutos, e sem saber muito bem onde estava, fui perguntando aos locais e saltando de aldeia em aldeia até chegar à Lousã.

Numa aldeia dessas pedi agua a uma senhora, e indicações para seguir caminho,
a senhora foi encher a minha garrafa e o seu filho ficou a explicar-me o melhor caminho,
depois de "dois dedos" de conversa (de onde venho e para onde vou) insistiram e fizeram questão que eu entra-se na sua modesta casa para beber um pouco de agua fresca...
Resumindo e concluindo, fui saltando de aldeia em aldeia, sempre recebido com curiosidade e muita simpatia...

Numa outra dessas aldeias, um senhor disse-me:
Ahhh não vá por ai... que essa estrada junto à ribeira é de terra batida e tal...
ao ouvir isso, os meus olhos devem ter brilhado como o flach da maquina fotográfica...

a luz do dia estava a terminar, mas teve de ser... eheheh





Chegamos a Lousã já noite escura, e por "azar" vi uma placa a dizer "Pizzaria"...
Bom, na realidade até nem foi muito "azar", visto que os preços eram em conta,
enquanto manjava uma pizza comecei a delinear para onde iria a seguir,

A ideia de visitar o cabo de Finisterra, não me saía da cabeça...
mas seria muito alcatrão e uns 75€ em gasolina

Não sabia o que fazer, e não me apetecia nada gastar esse dinheiro todo em gasosa,
e pensei... vou descansar um pouco e dormir sobre o assunto...
Subi a serra e parei num miradouro, e como a estrada não tinha transito acabei por pernoitar no banco de pedra desse miradouro,
...usei a esponja de rolo, e com o saco cama atado à XT improvisei um telheiro para ficar abrigado...
Adormeci vestido com o blusão, pois ajudava a conservar o calor do corpo, e a noite estava fresquinha...

Sempre que passava um carro, eu acordava... mas também só passaram uns 4 ou 5 carros,

Até que o ultimo carro que passou, uns metros mais à frente a fez inversão de marcha,
era impossível eu não ouvir tal manobra, e ainda por cima o carro tinha um trabalhar rouco, tipo panela rota... ORA BOLAS... ele vinha mesmo na minha direcção com as luzes bem apontadas para mim...
Fiquei encadeado com as luzes, e o carro passou muito lentamente, como se me tivesse a tirar-me as medidas e depois foi-se...

Isto não vai acabar bem... pois o carro foi na direcção errada... foi pelo mesmo caminho que vinha...

Nem é tarde nem é cedo... vou pirar-me daqui...
e comecei a ensacar as coisas o mais rápido que conseguia,
liguei o telemóvel, para ver as horas, e com a lanterna consultei o mapa...

Passou-se talvez uns 30 minutos até que vejo umas luzes a subir a serra... e arranquei com a XT e estacionei na berma da curva seguinte onde ficava encoberto... mas foi um falso alarme...
Quando me preparava para ir-me embora, ouso o carro de panela rota a subir a serra...
E era o mesmo Renault Clio branco que me tinha visitado,
Pararam junto ao miradouro, e digo pararam porque agora o carro trazia pelo menos 3 indivíduos...
3 gajos saíram e começaram a fumar e a falar algo que eu ouvia mas não percebia...
Tentei perceber como estavam vestidos, o que falavam, ou se estavam a falar em Português ou não...
mas fiquei a zero...

Enchi o peito de ar e dei ao starter, a agora nenhum clio do mundo vai conseguir acompanhar...
sem nunca olhar para os espelhos rolei uns bons kms para o coração da serra...
Escolhi um novo local... desta vez nenhum carro me iria visitar...
e desta vez não iria fugir de nada nem de ninguém... e montei o meu pequeno Castelo...

Dormi sem stress, e dormi mais que o normal...
era quase 10 da manha quando comecei atacar o pequeno almoço...







Aldeias do Xisto
(1ª parte)    (2ª parte)    (3ª parte)



(Edgar)

4 comentários:

  1. Estou curioso, quero o resto da historia eheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nelson
      bom... o resto da historia vai ao encontro das outras... eheheh
      OBR pela visita... e pelo comentário :)
      Abraço (Edgar)

      Eliminar
  2. Muito bem! Grandes aventuras low cost. Aguardo o restante relato até ao cabo finisterra (espero eu!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amigo
      desta vez levamos o low cost ao estremo (tirando a pizza eheheh)
      MAS ainda não foi desta que fomos a Finisterra... :/
      OBR pela visita,
      e Parabéns pela nova maquina que publicaste no blog: casaldequarta.blogspot.pt
      é um belo trabalho :) assim como os outros ;)
      Abraço (Edgar)

      Eliminar