Inicio | | Viagens | | Voltinhas | | Manutenção | | TUGATECH | | História da XT |  VELA 

sexta-feira

EL ROCÍO

Introdução: 
Já tenho dito... e até agora nada mudou:
Não vivemos para Vadiar... 
  Apenas Vadiamos para viver (uns dias diferentes)

pois é...
mas não podemos nem queremos fugir à nossa realidade,
apenas tiramos uma folga do nosso dia a dia,
Lá vamos nós sem relógio, sem horas para comer (e muitas vezes também sem nada para comer),
livres de compromissos, telemóvel desligado, e o resto do mundo que faça a sua vidinha.
Sempre despreocupados, apenas à procura de algo de novo para ver ou viver,
e...


E... bora-lá
À uns 15 anos para trás, em conversa com um amigo, ele disse-me:
- Épá fui de ferias e tal para o sul de Espanha, e conheci uma aldeia que parecia o velho oeste,
  as ruas são todas em terra batida, e a malta anda de cavalo ou com carroças e tal...
  e até as casas têm todas um estrutura de madeira para atarem os cavalos, tas a perceber?!

  e fomos a um bar, em que as portas eram daquelas tipo "saloon dos cowboys" e tal...

15 anos depois descobri que essa aldeia chama-se El Rocío,
e lembrei-me das suas palavras... e pronto!!
Agora só tinha que orientar uma desculpa (para receber as devidas autorizações familiares)
e poder rolar até lá...

a desculpa que encontrei era forte e chamava-se Memorial Motorocio (1)
(1) mais à frente passo a explicar o que vem a ser isto.

Com uns trocos no bolso para gasolina, e o resto depois logo se via... lá fomos nós,
a caminho de Beja, vejo uma AE em construção,
e nem sei ao certo o que me passou pela cabeça... mas na altura pareceu-me uma boa ideia,
e...




Talvez... ou talvez não:
Pela primeira vez na historia do nosso Rectângulo uma AE era inaugurada sem a presença de políticos
ou de campanhas eleitorais à vista... eheheheh

Uma coisa podemos afirmar: - o alcatrão era novo e a estrear.




A primeira paragem foi em Beja para comprar pão e umas conservas para enganar-mos o estômago,

e uns bons quilómetros à frente, vejo uma placa que dizia "Pulo do Lobo",
lembrei-me que "montes" de malta tinha falado maravilhas deste local,
e dei meia volta e fui lá ver isso de perto. Não estava nos planos, mas passou a estar...





Sem saber, entrei pela margem leste do rio Guadiana,
e o acesso é difícil, mas compensa pela paisagem que encontramos. (google maps)

Tirar uma foto que transmita a beleza da paisagem, é impossível,
pelo menos para mim, que sou um "zero" nessa arte, e nem uma verdadeira maquina tenho,
e a imagem em baixo foi o melhor que consegui.

Este vale é "selvagem", com um acesso ou terreno traiçoeiro, mas bonito e imaculado.
Em contra partida na outra margem o acesso é como ir a um cinema, só falta ter uma escada rolante.





O calmo rio Guadiana que desce para o Algarve aqui ganha outra vida,
simplesmente encontra um funil natural, e até parece que a agua levanta poeira branca,
não é pó, mas faz uma vaporização tal e uma barulheira que mete respeito...

(texto retirado no local)
A origem do nome "Pulo do Lobo" terá a ver com a distancia existente entre as duas margens, que permitia que o "pulo" dum "lobo" adulto consegui-se saltar duma margem para a outra.
Noutros tempos, este local era o único sitio em varias centenas de kms que permitia alguns animais terem contacto com a outra margem.


Aqui o rio Guadiana é fortemente erosivo, ganha um vigor raramente adquirido, iniciando a escavação do seu leito primitivo formando uma garganta escarpa de 20 metros de altura.
Após se precipitar cerca de 16 metros de altura sobre o Pego do Savél, o rio avança em busca da foz.

Por cima deste vale activo, é visível um vale superior mais antigo, registo de épocas mais passadas em que o rio corria mais alto.





Era altura de seguir caminho,

e uns kms mais à frente parei para comer qualquer coisa...
Existe uma espécie de "regra" para estes dias,
não viemos para aqui para comer e beber, mas sim para passear,
como tal, raramente se almoça ou janta-se, ou seja:
- come-se qualquer coisa, que almoçar e jantar é para os ricos...

A paisagem dava "dez a zero" à comida... eheheheh
mas também não se pode querer ter tudo,    eheheheh





Tinha escolhido entrar em Espanha pelo Pomarão próximo das minas de São Domingos

Embora já tenha andando por aqui noutras alturas, havia uma coisa que me estava "atravessada",
uma vez tinha tentado fazer o trilho da antiga linha do comboio,
mas tive que desistir por falta de segurança,
porque além de terem tirado os carris do comboio (o que é bom),
também retiraram as pontes de ferro... (o que é muito mau)
e sem pontes a coisa tornou-se complicada.

Tinha esperança que desta vez visse a coisa duma maneira diferente...





Uma paragem para ver novamente a mina,





Mina... essa que está a cair de madura...





O trilho do antigo comboio é "pêra doce",
bonito, agreste, que alterna entre bom piso a pedras soltas,
e também a uma lamazita barrenta que gosta de pregar partidas... (tinha chovido bem nas vésperas)





A ausência da primeira ponte faz bem...
das seguintes  lá se vai fazendo e encontrando alternativas (trilhos) para contornar o buraco.

até que aparece o primeiro túnel





e depois mais 3 pontes que desapareceram...
a primeira foi canja...
e as seguintes dão-me agua pela barba... ou então estou a ficar velho para isto.


Até que o cheiro a enxofre começa a ser cada vez mais activo
já tinha aquele sabor na boca, e que só saiu depois de beber agua...
mas parece que até o capacete tinha aquele cheiro... - e tinha mesmo! mas porquê???
- mas afinal donde vinha aquele pivete a enxofre ??


Na passagem dum túnel, encontrei lama
e parece que a lama era rica em enxofre, e a XT e as minhas botas estavam cheias dessa lama...





Tive de desistir outra vez, porque o meu bom senso assim o quis, e regressei à estrada,
mas desta vez fui muito mais longe... e assim fica mais uma visita para se fazer noutra altura.


Assim que entrei em Espanha encontro a estrada cortada...
e dizem-me logo:
- Usted no vai conseguir passar!
devem estar a "brincar comigo"
depois de estudar muito bem uma forma de contornar isto, fosse por onde fosse...
dum lado havia uma escarpa de umas boas dezenas de metros e do outro uma parede,
vi que só conseguia se fosse por cima disto...

Parecia que a Guarda já estava "ao rubro" comigo,
e um já dizia a outro: - este tio va tentar hacer m1erda!!

Antes que a coisa fica-se pesada, desapareci tal como tinha aparecido,

Tive de voltar para trás... e teria de fazer mais uns quantos kms





Uma hora ou talvez duas depois, estava a saltar do Algarve para Espanha,
e foi altura de fazer o ponto da situação...
ou continuava e ia para El Rocío, ou voltava para Portugal e logo escolhia um novo caminho.

Os planos em participar no evento "Memorial Motorocio"  tinham saído furados,
se tivesse entrado em Espanha por onde inicialmente queria, e se não tivesse andado pelo Pulo do Lobo  e tal... a volta teria sido outra e muito diferente,
pois planeava ir conhecer o Rio Tinto e vasto complexo industrial abandonado no tempo que existe nos arredores deste rio... mas fica para outra altura.

Resolvi ir para El Rocío, e acampar por lá.
Todos os anos em Dezembro (e já vai na 27ª edição), El Rocío mete de pé um evento motociclistico que serve para homenagear quem teve a infelicidade de perder a vida nas duas rodas.
O evento é singular, devido ao local e à forma como é feito,
e a Igreja ou Paroquia local junta-se ao mundo das duas rodas para dar vida ao evento.
Infelizmente cheguei à "vindima" quando estavam a "lavar os cestos"





Noite escura aparece um gajo esquisito com uma Mota do tipo "viajante pop-chunga",
e com ele vem um pive do caraças a enxofre...
esse gajo sem conhecer ninguém estaciona a mota bem no meio do recinto, e abandona tudo em cima da mota, e vai direitinho aquecer-se à primeira fogueira que encontra.

Uma das pessoas que fez a fogueira pergunta-lhe:
- Hola, como estas? has venido solo?
contei-lhe um pouco sobre mim e...
- Hay allí compañeros sus de Portugal
   usted puede ir allí para ellos.
eu disse-lhe, que talvez fosse, mas por agora não...

de repente eles vão tirar uma foto de grupo e agarram em mim,
e fazem questão, que eu fica-se no meio do grupo...





Resumindo e concluindo...
em poucos minutos fiz novas amizades, e fui o convidado "especial" do grupo,
comi, bebi, conversei, partilharam historias comigo e eu com eles.
Simplesmente fizeram de tudo para que eu me senti-se em casa.





Eles eram portadores duma alegria honesta e genuína, e contagiaram-me com essa forma de estar.
e todos, mas todos eles, sem excepção falaram comigo, e todos eles insistiam para que comece bebe-se e participa-se na sua festa...

Este era o estandarte (nome e símbolo) do Grupo





Um pouco antes da meia-noite eles começam a arrumar as coisas,
e dois deles (Jesus e o Andreas que entre outros já são meus amigos no facebook), foram buscar mais lenha para a fogueira...

Jesus, vem ter comigo e diz-me:
- Nos vamos
  el grupo no va a acampar aquí, porque vivimos cerca,
  y me quedo en el pueblo, pero me voy a dormir en un hotel.
  Recogí esta lenã, y tal vez te deia para toda la noche...

Acho que nem consigo arranjar palavras para descrever tamanha hospitalidade...

A fogueira aguentou-se toda a noite, e de manhã ainda tinha chama.
engraçado que caiu orvalho durante a noite,
tinha a XT toda molhada, e a tenda toda enxuta... por será ?!? mas ainda bem que foi assim.





Depois de tudo ensacado, era altura de ir conhecer a Aldeia de El Rocío,
Tudo muito típico, tudo muito bonito, e tudo muito diferente do normal...
A religião Católica esta bem patente um pouco por todo o lado.
Para um "caramelo como eu", a aldeia faz-me lembrar o velho oeste Americano
ou sei lá... talvez também aquelas aldeias mexicanas dos filmes do zorro...
a verdade é que esta aldeia remonta muito antes do século XV,
ou seja, muito mas muito antes de haver velho oeste ou o México como vemos nos filmes.







A "Ermida" (que se parece mais com uma Catedral), foi construída no ano 1200 e troca o passo,
mas em 1755 ruiu durante o grande terremoto (o mesmo terramoto que destruiu Lisboa),
Pelo que li (Wikipedia) 2 ou 3 anos depois foi concluído o seu restauro, e aqui está ela...





Visitei a Ermida, e estava  a decorrer algo, que não sei ao certo o que era...Mas foi mesmo bonito de se ver e ouvir...
pois umas senhoras estavam a cantar uma musica local com uma categoria uma qualidade do caraças...


..e um canídeo bem-apresentado, eheheh




O regresso a casa foi agradável, e desta vez sem muita historia para contar.


Nas calmas paramos pelo caminho para comer o resto das conservas que tinha comprado na véspera, e quando terminei o banquete reparei na mensagem do saco do lixo, que tem tanto de verdadeira, como de vital...





Bom...!!! como temos uma filmadeira no capacete
fomos pelo caminho ligando e desligado a gaja para poder fazer este video...
e talvez seja um bom resumo sobre este fim de semana, ou desta voltinha,






Obrigado pela visita
                                              e Feliz Natal ...
                                                                              (Edgar)




12 comentários:

  1. Bonita ruta Edgar, el levante del Algarve y Huelva comparten el mismo entorno natural, además del Guadiana, la Franja Piritica es la misma historia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hola Manuel
      Voy a tener que volver otra vez
      porque me gustaría ver la zona de Río Tinto...

      @MANUEL, Muchas gracias
      para tu trabajo y de tus amigos, em hacer Memorial Motorocio
      y espero a unirse el próximo año,
      pero esta vez tengo que llegar temprano

      Saludos (desde Moita do Ribatejo)
      (Edgar)

      Eliminar
  2. O grande Edgar no seu melhor.(Vadiar).
    Parabéns pela reportagem está excelente como aliás já é costume.
    Uma nota. Tu tens que experimentar escrever um livro tens jeito para a coisa.
    Forte abraço e temos que combinar um cafezito para te mostrar a minha motorizada. Eheh.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Amigo
      Talvez um dia escreva um livrozéco... eheheh
      um pequeno e que se lei-a em poucas horas e com muitas fotos :)

      Já estive a ver a Maxine :) está novinha :)
      ABR e Bom Natal se não nos virmos entretanto (Edgar)

      Eliminar
  3. Parabéns Edgar pela grande "motocada" como dizemos aqui no Brasil, obrigado por partilhar conosco as histórias e fotos/vídeo dessa aventura. Abs. e Feliz Natal ��.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nelson
      Obrigado Amigo :)
      e um Feliz Natal também para ti e para os teus :)
      Abraço (Edgar)

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Olá Tiago
      OBR pela visita e pelo Comentário :)
      ABR e Feliz Natal
      (Edgar)

      Eliminar
  5. Muito bem Edgar! Conheço bem El Rocio, já estive várias vezes de moto, mas no Verão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No verão talvez seja uma poeirada do caraças (ou talvez não) eheheh
      OBR pela visita e pelo comentário :)
      ABR e Bom Natal
      (Edgar)

      Eliminar
    2. Sim Edgar, é mais poeira e as ruas de areia complicam a condução com as motos carregadas. Mas em compensação tens a praia de Matalascañas a 15km e o Parque Nacional Doñana (lince Ibérico) que tem um parque de campismo onde fiquei em Jul/2016 - http://www.campingdonana.com/. Abraço e bom Natal

      Eliminar
    3. Pois é... aquilo é uma região muito bonita e agradável,
      também gostei muito da simpatia das pessoas :)
      OBR pelo Link e pela dica
      ABR

      Eliminar