Inicio | | Viagens | | Voltinhas | | Manutenção | | TUGATECH | | História da XT |  VELA 

sábado

Estrada para o Céu

( 1ª parte )
( 2ª parte )

Um gaijo do  facebuque publicou que  CLUBE  XT  PORTUGAL estava morto...

Parece mentira né? mas é berdade berdadinha!
mas dizem bocemecezes:
- que importãcia tem isso ?! - ma quem dá ouje em dia importãcia ao  facebuque  ?!

- Hã? O queim!! 
(digo eu) isso foi um dos maiores atintados á cultura dos homes das XTs,

e muntas personalidades emportantes espalhadas pelo mundo se manifestaram-se de imediato:
- Bamos mazé soltar os cães já...  (palavras publicas do Rui da matirizada)
- Isto quer é punhada da grossa, ai quer quer... (mencionou o Hugo da Ténaré)

Esse gaijo do facebuque criou um vendaval do caraças,
foi a tempestade perfeita e deixou o país em panico total...
Para quem nã cunhece a grandesa e vasta cultura ensistente no CXTP,
uma cultura e uma desorganização dum balor inalianavel,
pode ler e ber aqui uma reportage do CXTP :



- Bom... não foi bem assim, mas também não andou muito longe,
e desta vez a coisa ganha vida com a Malta da Invita e arredores, e arranca com um Evento de 2 dias no norte de Portugal.

Eu nem pensei duas e lá vamos nós...
Fiz contas aos 350 km que tinha pela frente até ao ponto de encontro, e claro que na véspera já eu andava a rolar para Norte pelas estradas nacionais...


É claro que quando vamos Vadiar, aproveitamos sempre para fazer alguns reconhecimentos para futuras vadiagens... e desta vez não foi excepção,
"porque uma vadiagem é sempre o adubo para outra vadiagem"...

a próxima vai ser uns 160km à vela até aqui,
isto se não formos ao fundo outra vez... eheheh

Valada do Ribatejo




Era uma 6ª feira chuvosa e fria, e eu já começo a ficar velhote para estas coisas,
o material, roupa, viseira, botas etc etc também já tiveram dias melhores.

A estrada nacional é um inferno do caraças, com chuva, transito a montes, a noite com luzes que encandeiam, semáforos que disparam o vermelho acima dos 50km/h...
etc etc, mas sem excessos lá fui rolando, até que para os lados da Mealhada com a noite chuvosa, e encandeado dei uma curva a direito que me parecia um entroncamento e entrei por um velho caminho de acesso sei lá do quê !?!
Tudo acabou bem... e isto levou-me a parar pelo menos uma horita e procurar forma de comer qualquer coisa.
Essa paragem deu-nos sorte, e a chuva parou de vez e o transito dai para frente acalmou.


Estava a rolar sem planos, e rapidamente desisti em acampar no ponto de encontro do Evento,
a velhice e o frio falou mais alto, e fui buscar a lista de contactos de emergência.

O 1º contacto que telefonei deu direito a um quarto com cama, um banho quentinho e um chazinho com bolachas...
mais o pequeno almoço é claro... (- Obrigado, Hugo e Miriam)


Mal conheço a cidade do Porto,
e continuo sem a conhecer, propriamente dita...
mas o pouco que vi, o Douro com as suas pontes, seja à noite ou de dia, as ruas, as estradinhas nos arredores, eu sei lá...
Aquilo era mesmo bonito e tenho que lá voltar, mas com tempo...




A chuva fria trouxe-nos uma agradável surpresa acima dos 1000 metros... NEVE
e os trilhos desfiavam-nos sem assustar e transpirava-se aventura.





A Equipa tinha todo o tipo de "meninas"
desde grandes "mamutes" que nos caminhos difíceis parecem ter tracção às 2 rodas...




... a "Mamute Best Seller" do Tiago,




...e a "velhinha" do inicio dos anos 90 
leve e irrequieta que fazia tudo parecer fácil   eheheh




O almoço foi na vila ou aldeia da Gralheira,
onde temos um belo parque de merendas com piscina (ver mapa)
A piscina do parque não estava para banhos, porque tinha cubos de gelo a boiar, eheheh

E o momento alto do dia (para mim é claro) nem foi a neve, nem foi a paisagem,
foi ver o João Oliveira, Amigo de longa data nestas coisas...
o João sabia que andávamos por ali e amontou-se na sua Chopper, carregou-a de comida e foi sozinho pelas estradas geladas ao nosso encontro...



Encontrar o João mais a sua Chopper nestes dias, é sinal de que vamos comer uns bolinho caseiros que ele faz com umas pitas de chocolate, que é de comer e chorar por mais eheheh

Esses bolinhos deram para todos repetirem varias vezes, ainda foram a sobremesa do jantar e o pequeno almoço do ultimo dia... eheheh

Era um enorme taparuer cheiozinho até à tampa...

Infelizmente não tenho uma foto desses bolinhos,
ou do João e da sua "menina"...
apenas tenho uma foto de eu a despedir-me dele,
mas ficou bem registado na minha memoria vê-lo a partir sozinho a caminho da sua casa...





Não sei ao certo por onde andamos depois, ou antes...
limitava-me a seguir a caravana, e arregalava-me com as paisagens que faziam parte do caminho,

O "Navio Almirante", a maquina que guiava a caravana, 
foi desde o inicio até ao fim está Ténéré branquinha... 




Havia alguns trilhos mais agrestes que outros, 
e a entre-ajuda era sempre em grandes doses, voluntária e espontânea...

Algures na Serra de Montemuro (salvo erro),
aproveitamos para tirar a foto de família.





Umas horas depois o grupo separava-se em dois,
uns que iam acampar e os outros que tinham de regressar a casa...

Agora é que a coisa começa a ter outros contornos:
- Escuridão total apimentada com chuva, escolher um local para o acampamento, e basicamente muitas incertezas umas atrás das outras...
Mas a Equipa esteve à altura, e o azar que encontramos foi transformado em sorte...

Mas isso fica para a 2ª parte do "reporte da coisa"

(Continua) 




4 comentários:

  1. olhado agora para trás, foi uma aventura do caraças.
    o Porto estará aqui à tua espera.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheh
      pois foi eheheh
      Tenho que voltar... e repetir tudo com tempo,
      com muito mais tempo.
      OBR e ABR (Edgar)

      Eliminar