Inicio | | Viagens | | Voltinhas | | Manutenção | | TUGATECH | | História da XT |  VELA 

terça-feira

Lá vai alho... ( 2ª parte )





  • Lá vai alho... 1ª parte
  • Lá vai alho... 2ª parte
  • Lá vai alho... 3ª parte 


  • Ora bem...
    ...dormir em cima duma tábua... mal o sol nasce, acordamos com a sensação de termos o sono em dia...
    ou seja... o corpo manda a imediatamente a informação para o cérebro, que já chega...
    por vezes o cérebro ainda pergunta: não queres dormir mais 10 minutinhos ?? 
    mas a resposta é sempre a mesma... NÃO !!

    ...por norma quando acordamos, tentamos fazer sempre aquilo que normalmente fazemos em casa...
    mas com outras condições...

    Primeiro que tudo, olho para a XT e nasce logo um sorriso, do tipo: aqui estamos nós outra vez !!
    depois vamos à procura do WC, e fazemos um xixizinho sem nos preocuparmos em acertar na sanita...
    e de seguida usamos uma toalhinha (do tipo dodot) para lavar a cara e as mãos...
    usamos um dos espelhos da XT para vermos a nossa figura...
    Fazemos e saboreamos o nosso pequeno almoço (choca picos com leite),
    e lavamos os dentes... e depois de renascermos com um hálito fresquinho ensacamos tudo e toca a rolar...

    e rolamos sem espinhas ou complicações...
    Vamos por onde nos parecer melhor... e simplesmente vamos...(video de 2 minutos)







    O sitio escolhido para pernoitar, revelou-se excelente...
    ...não caiu orvalho... ou se caiu foi filtrado pela enorme árvore que estava por cima de nós...
    e foi uma noite estrelada e sem mosquitos
    Além de termos descansado... acordamos num local que não deixa ninguém indiferente...




    Era uma manhã bonita e fresquinha... e lá íamos nós pela margem sul do Rio Zezere...
    a Ponte Filipina seria o próxima etapa...




    Muitas vezes me pergunto !
    - para onde irá aqueles camiões que vemos carregados de troncos ??

    Tinha encontrado a resposta...
    mas era uma resposta completa...

    Vi todo o processo desde a descarga desses troncos até a sua transformação em outra matéria prima... neste caso, eram tábuas para fazer paletes de madeira...




    A coisa aconteceu assim... Esta unidade fabril com uns 10 trabalhadores, estava a trabalhar em pleno... eu fui atraído pelo seu barulho e estacionei a XT, e dirigi-me para o seu interior...
    Aconteceu o que eu não esperava... Pensaram que eu era um cliente...
    Sem me aperceber lancei a escada, e disse: Tenho visto tantas tábuas, mas nunca vi como elas eram feitas !
    e o senhor que me recebeu sugeriu-me que desse uma vista de olhos nas maquinas que estavam a laborar à força toda...
    É notável ver aqueles equipamentos a trabalharem... e é força bruta e serradura por todo o lado...


    Pedi para fotografar os equipamentos em plena produção... e aperceberam-se que era apenas um simples curioso, e não vinha comprar ou encomendar tábuas...

    (eu também nunca tive intenção de dar a entender que era um cliente)

    e fui convidado a abandonar as instalações, mas sempre com muita simpatia...

    Gostei do que vi... e tenho pena não poder partilhar isso convosco através de imagens...


    Agora o destino era a Serra da Gardunha... mas ainda tinha pela frente uns divertidos 100 kms pela N350 / N238, e por fim por uma estrada camarária que nos levava para Louriçal do Campo...

    O caminho era engraçado e sem transito... parecia que aquela estrada não nos levava a lado nenhum... e por isso ninguém a utilizava... eheheh






    Ocasionalmente saltávamos para fora de estrada...
    porque paralelamente à estrada, havia uns caminhos de acesso aos "Moinhos Modernos"


    Já não me lembra quando... mas foi na altura em que a manhã já estava a aquecer...
    e fomos por a higiene do "Vadio" em dia...





    Ser "vadio" não é fácil...  é uma vida dura... eheheh

    Piscina natural... com relva e estacionamento para a minha "Menina"
    melhor que isto... melhor banheira que está... eu não conheço !! eheheh




    Portugal é Portugal...
    muitas vezes somos vitimas de ideias erradas...
    ideias que nos dizem que por aqui não há nada de novo para ver...

    Portugal tem tanto para ver... tanto para desfrutarmos...
    e estamos sempre a aprender neste Rectângulo

    Estávamos a atravessar a Serra de Moradal,
    e encontrei um alambique... olha que fixolas...

    Freguesia do Estreito (conselho de Oleiros) 

    Agora sim... Agora é que era...
    iríamos subir na vida... é o que todos querem e nós não somos diferentes...
    também queremos subir na vida... Vamos à procura do topo da Serra da Gardunha...





    ...se a fé move montanhas...
    e a minha XT ajuda-me a subi-las...





    ...e depois de muito subirmos na vida... chegamos ao topo...

    Era isto que procurávamos...
    não era apenas o topo da serra... era a descoberta de caminhos novos...

    Saímos com a certeza de que ainda não vimos tudo... e vamos ter que voltar lá !!






    Agora iríamos mudar de ritmo, e fazer muita estrada...
    o objectivo era irmos ao encontro do rio Douro... Mais propriamente do Rio Tua (afluente do Douro)

    Como não tínhamos planos... tínhamos que construir uma rota...
    Parei na berma da estrada a uns quilómetros da cidade do Fundão...
    havia um muro baixo com uma bela sombra... sitio impecável para me sentar e desmiudar o mapa

    Estava a dar em maluco com o mapa... pois não encontrava o rio Tua...
    e para ajudar à festa, parou 2 jipes da GNR carregados de Guardas...
    Havia um Guarda que devia ser o chefe daquele contingente todo... e depois duma espécie de "boa-tarde", esse mesmo perguntou-me se estava tudo bem !
    Eu respondi que si... Boa-tarde e obrigada por perguntar !
    GNR - então o que está a fazer ??
    eu     - estou a consultar o mapa ! e diga-me, estou aqui bem parado, não estou ??
    GNR - sim está !! e para onde quer ir ??
    eu     - Tua
    GNR - o quê ??
    eu     - Tua
    GNR - o quê ?? mas isso é onde ??
    eu     - não sei !! só sei que vou para lá assim que descobrir onde está no mapa...
    GNR - e vai para lá fazer o quê ??
    eu     - existe algum problema ??
    GNR - Você vem de onde ??
    eu     - da Moita do Ribatejo que na realidade é a sul do Tejo, 
               embora se diga que é "arriba" do Tejo (Ribatejo)
    GNR - Algo não está bem aqui!
    eu     - Pois é... vocês estão parados na faixa de rodagem e estão a dificultar o transito... 
    GNR - Deixe-me só tirar uma foto à sua mota e vamos embora... e outra à matricula.

    e foram-se embora assim sem mais nem menos...
    Mas que raio ?... mas que raio, estava a acontecer ?

    Bom... a verdade é que eles foram embora e eu também fui...
    e não encontrei a "porra" do Rio Tua no mapa

    Ao passar pela Covilhã vi o enorme "M" do Mc Donald's...
    e depois de abastecer o deposito da XT, fui comer um Big Tasty... foi mais forte que eu...
    e confortavelmente a molhar as batatas fritas no ketchup consegui fazer uma rota até ao Rio Tua... eheheh


    Agora estava na margem sul do Rio Douro... e sem saber muito bem porque passei numa localidade chamada Linhares... Tinha uma beleza do caraças...
    vejam com os vossos próprios olhos.





    Parei em Linhares porque vi uma senhora a estacionar uma carroça.
    Cumprimentei a Senhora e perguntei-lhe se podia tirar uma foto à sua carroça e ao seu burro ??...
    a senhora prontamente respondeu para tirar as fotos que quiser, e que me apetecer,

    Eu disse à senhora, que donde venho as carroças são raras... e foi o inicio dum belo dialogo...




    A senhora explicou-me que as carroças ali também eram raras...
    e que não era um burro mas sim a sua "menina", e que já a acompanhava à mais de 20 anos...

    A carroça servia para carregar agua para regar uma pequena horta...

    enchemos 5 ou 6 recipientes que levavam 30 Litros cada... e isso durou algum tempo...
    O meu objectivo era colocar os pesados recipientes em cima da carroça... simplesmente ajudar a senhora...

    enquanto a agua corria lentamente da fonte... fomos conversando...
    Durante a conversa eu disse que estava de ferias... e a senhora disse-me :
    - então é bom sinal e quer dizer que tem trabalho...

    Não me vou esticar com a conversa que tivemos...
    resumidamente esta Senhora começou a trabalhar com 8 anos de idade...
    explicou-me como era a aldeia nessa altura e que teve os seus primeiros sapatos aos 30 anos...
    que tinha aprendido a ler aos 65 anos e que hoje com 78 olhava para as noticias da TV com algum espanto... "espanto" porque se fala tanto em crise, e se tivessem vivido o que ela viveu (começar a trabalhar aos 8 anos por necessidade da família)
    simplesmente disse assim :
    - Espero que nunca venham a saber o que é uma verdadeira crise... igual à aquela que eu vivi...

    Falar com esta senhora foi a melhor coisa que aconteceu em toda a voltinha...
    dificilmente me vou esquecer da sua alegria de viver que transmitia, e das suas palavras sabias...

    Quando meti a 1ª e preparava-me para deslargar a embraiagem e Senhora comentou...
    - nunca tive um carro ou outro transporte além desta carroça... mas se tivesse que escolher seria uma Mota, uma como a tua... porque uma vez me deram-me boleia numa mota e ainda me lembra  como foi bom, e o vento a bater, e como ela subia a estrada... 
    Faz boa viagem e depois vai para junto dos teus...




    Estava-mos a um passo do rio Tua...
    e hoje iríamos conhecer a famosa linha do Tua...

    chegamos à linha do Tua ao final do dia...
    e a primeira coisa que encontramos foi as obras da nova barragem...
    fiquei com a ideia, que estava perante um crime ambiental...





    A noite chegou depressa... e andar na linha com a XT revelou-se muito difícil... e perigoso...
    e as duas rodas subiam e desciam as traves ao mesmo tempo...
    para agravar a situação as pedras eram enormes e rolantes...
    e rapidamente vi que isto poderia não acabar bem...





    Aquele equilíbrio... aquela harmonia que levamos connosco, tinha-se perdido...
    Simplesmente estava a destruir a minha Menina, com o meu egoísmo em conhecer a Linha do Tua...
    Não estava correcto... e o egoísmo não podia ser maior que o meu bom senso...

    Desafiar esse "equilíbrio" ainda me iria levar para um caminho sem regresso...

    ...e fazer inversão de marcha na linha do comboio ??
    nem vos conto !!
    e nem quero falar sobre isso !!
    só para terem uma ideia... o tempo que levou até deu para fazer e comer o jantar...

    ainda equacionei dormir na linha... pois estava a ficar sem forças para mais...




    Andar pela linha não deu resultado... nem sempre se consegue aquilo que se quer...
    e sairmos de lá inteiros e com as jantes redondas, já foi muito bom... eheheheh

    o 3º dia iria apagar da memoria o falhanço da Linha do Tua... eheheh

    a Serra do Gerês revelou-se a "cereja no topo do bolo"...


    (continua) OBR pela visita...







  • Lá vai alho... 1ª parte
  • Lá vai alho... 2ª parte
  • Lá vai alho... 3ª parte 
  • 6 comentários:

    1. Estou a deliciar-me com a tua crónica, aliás, como é apanágio dos teus relatos.

      Andaste pelos meus domínios! Beira Interior, (Covilhã, mais concretamente). Qd voltares posso ajudar-te com percursos muito bons e muito património natural, gastronómico e cultural para visitares.

      Vou-te mandar convite pelo FB.
      Abraço
      Sérgio Sousa

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Olá Sérgio

        A Beira Interior tem sido passagem quase obrigatória... eheheh
        muito por aquilo que mencionas-te

        Em Fevereiro vou estar de volta à serra da Estrela... :)

        OBR pela visita
        e pela disponibilidade

        ABR (Edgar)

        Eliminar
    2. descobri este blog por acidente, e está a dar gosto ler...
      força nisso, continua o teu optimo trabalho, que ganhas-te mais um leitor

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Olá...
        Saber isso... é como meter adubo no crescimento de algo...
        o blog cresce também com os feed back ;)
        Obrigada pelo simpático comentário :)
        OBR pela visita...
        ABR
        Edgar

        Eliminar
    3. Epá.... depois de acompanhar este blog há cerca de 1 ano, sinto-me na obrigação de agradecer. Agradecer por nos levares a todos a conhecer este pais em duas rodas, com uma escrita viciante e cheia de humor. Não tenho mota, não tenho carta de moto, nem tão pouco alguma vez andei de mota (isto num homem de quase 30 anos é de se envergonhar, eu sei), mas o bichinho está cá dentro e qualquer dia será o Dia ;)Continua com as tuas crónicas e venha de lá essa 3ª parte...!

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Olá Rui
        OBR pelas visitas :) e pelo comentário :D
        Nunca é tarde... eheheh
        eu aos 42 anos comprei um barco da classe Optimist para aprender a velejar... e é um barquinho para crianças com 40 ou 50 kg loool
        estou velho, gordo, desajeitado, e a parecer sei lá o quê... a verdade é que me tenho divertido à brava...

        ABR dos Grandes
        Edgar

        Eliminar